De acordo com o levantamento feito pela Wayra, hub de inovação aberta da Vivo no Brasil e da Telefónica no mundo, grande parte das startups investidas de seu portfólio ganhou uma gama de novos potenciais clientes em tempo recorde. Muitas delas, inclusive, viram um crescimento expressivo no apoio aos processos de transformação digital de grandes corporações.

“Por serem naturalmente mais ágeis na resolução de desafios de digitalização, as startups estão cada vez mais requisitadas para auxiliar outras empresas do mercado a lidar com a transformação para contextos mais virtuais e devidamente distanciados, por isso, vimos um crescimento expressivo neste período de pandemia”, comenta, Carol Morandini, head de portfólio e scouting e country manager interina da Wayra Brasil.

Segunda Carolina, a área da saúde foi uma das que mais viram essa transformação. “O tema da automação e digitalização vinha caminhando lentamente ao longo dos últimos anos, mas com a urgência em atender as demandas médicas e evitar a proliferação da Covid-19, o Ministério da Saúde agilizou autorizações e definiu diretrizes para a telemedicina, que possibilita atendimento médico à distância e em poucas semanas as teleconsultas passaram ganhar força”, comenta.

A bem.care e a Pluginbot, startups que fazem parte do portfólio do hub de inovação aberta, se transformaram e viram seus números em teleatendimento crescerem. Nas UTIs, a automação para monitoramento de leitos se tornou essencial graças a solução da Carenet, healthTech especializada em telemonitoramento de pacientes crônicos com tecnologia exponencial IoMT, IA e RPA dentro e fora do ambiente clínico hospitalar.

Outra área altamente impactada pela urgência da transformação digital foi o varejo. Comerciantes que ainda não vendiam pela internet precisaram se atualizar e, com o isolamento social e demanda de compras cresceu intensamente. Segundo dados da SocialMiner, outra startup investida pela Wayra, as taxas de conversão também foram vistas entre as lojas online que comercializam bebidas, itens de beleza, casa e construção.

Segundo Carolina, quem também ganhou força foi o setor de serviços de IA e IoT, que, sendo aplicados na agricultura, viabiliza a utilização de sensores nos canteiros para monitorar a necessidade de irrigação para cada tipo de cultivo. Um exemplo é a IoTag , que conecta sensores e dispositivos embarcados à uma plataforma na nuvem, garantindo a gestão e a performance de diversos tipos de operação, tudo à distância, e a Bovcontrol , que analisa e monitora os dados da produção de carne e leite ao acompanhar o gado em tempo real.

“Quem atua no ramo do empreendedorismo sabe que as startups são criadas para lidar com solavancos e grandes mudanças. Faz parte da cultura “startupeira” saber se ajustar e “pivotar” quando necessário. Essa experiência faz delas excelentes parcerias para empresas que precisam acelerar suas transformações digitais neste momento, já que elas têm facilidade em adaptar suas ofertas de forma bem veloz” finaliza a country manager interina da Wayra.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui