26 de abril de 2017


Marcas, diferenciais e estratégias utilizadas por cervejarias artesanais. Modelo de negócios de cervejarias curitibanas foram apresentadas no evento da ADVB-PR

 

Com um formato diferente, dinâmico e descontraído, que possibilitou mais interação entre o público e os convidados, aconteceu na manhã desta quarta-feira, 19 de abril, o primeiro Estrela ADVB do ano. O evento, promovido pela Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil – Seção Paraná (ADVB-PR), recebeu fundadores de cinco cervejarias curitibanas. Considerada o Vale do Silício da cerveja artesanal, segundo a revista Exame, Curitiba já recebeu 25% de toda a premiação internacional dentre as cervejarias artesanais brasileiras.

Alejandro Winocur, da Way Beer, abriu o evento contando a trajetória da cervejaria: “Montei todo plano de negócio para abrir uma fábrica, mas não sabia o principal: fazer cerveja. Por coincidência do destino, conheci o Alessandro Oliveira, que já produzia cervejas em casa, tinha todos os equipamentos e topou fazer essa parceria”, comentou Winocur. Lançada em 2010, hoje a Way Beer trabalha com exportação, principalmente, para os Estados Unidos, mas já traça planos para chegar à Europa.

De um hobby à profissão, a cervejaria Bastards Brewery apostou em uma forma diferente para conquistar os clientes. Fundada em 2013 com cervejas produzidas em panelas, a marca adequa a cada rótulo um personagem. “Buscamos sempre aproximar o consumidor da marca. Foi preciso muita paciência para ser assertivo no nosso negócio”, comentou o fundador da marca, Francisco Seegmuller, durante o Estrela ADVB. Ele também falou sobre o novo empreendimento da marca, um pub diferenciado, que tem atraído a atenção dos adoradores de cerveja.

Outro participante do evento foi Iron Mendes, ex-piloto de navio e fundador da Maniacs Brewing Co. “Começamos nesse mercado com todo o processo de distribuição de cervejas, incluindo marcas  nacionais e internacionais. Hoje, estamos em seis filiais espalhadas pelo Brasil, com produtos próprios”, comentou Mendes. São aproximadamente 50 colaboradores, envolvidos em todo o trabalho, contando importadora, distribuidora e cervejaria. Entre as inovações recém-lançadas pela Maniacs estão as cervejas em lata e um pack de papelão que suporta gelo por até seis horas.

Diretor da ADVB-PR e fundador da Gauden Bier, Ronaldo Flor apresentou o modelo de negócio adotado da cervejaria. “Decidimos seguir o caminho colaborativo, cooperado, onde convidamos produtores de cervejas para fazerem seus produtos na nossa fábrica”, explicou. Considerada a cervejaria mais antiga da região de Curitiba, só em janeiro deste ano até o momento, a Gauden Bier já fabricou mais de 500 mil litros, sendo 80% Gauden e os outros 20% divididos entre marcas parceiras.

Finalizando o evento, Samuel Cavalcanti, da cervejaria Bodebrown, mostrou a trajetória da empresa e os mais de 130 prêmios conquistados. “Desde o começo, nossa preocupação não foi formação de preço e volume, e sim ter um produto de alta qualidade”, contou Cavalcanti. Ao longo dos oito anos de trajetória, a Bodebrown já foi convidada a produzir cervejas na Inglaterra, Itália, Austrália e outros países. Hoje, o Brasil possui cerca de 400 microcervejarias, e, segundo Cavalcanti, com o rápido crescimento desse mercado, espera-se que até 2020 sejam mais de 1.200.

COMPARTILHE
Share on LinkedInShare on FacebookGoogle+Tweet about this on Twitter